Publicidade

Acesso Restrito

Casamento de Oséias: um símbolo de infidelidade

Por: silvia leticia carrijo de azevedo sá

A vida e livro de Oséias é um reflexo do seu ministério profético. Ela abrange um período crítico onde estava em declínio a religião do reino do Norte (750 a.C.). Sua pregação era centrada na quebra da aliança do povo de Israel com Deus. O povo estava misturando a adoração pura e Santa de Deus com a idolatria da vizinhança que não conhecia quem realmente era o Senhor Deus de Israel. Ele falava do amor de Deus áquele povo, falava no tempo de calma e abastança como no período do Rei Jeroboão II, e no tempo de guerra.

A religião deste povo tornou-se poluída pela inserção de cultos da fertilidade (adoração a Baal) este deus se julgava o senhor DA CHUVA E DA FERTILIDADE. Trouxeram a prostituição ritual e muitas orgias causadas pela embriaguez. Misturou tanto que chegou a ser chamada de culto baalizado. O povo negligenciava a fé genuína a Deus e se tornaram tolerantes ao sincretismo religioso. “Meu povo foi destruído por falta de conhecimento. "Uma vez que vocês rejeitaram o conhecimento, eu também os rejeito como meus sacerdotes; uma vez que vocês ignoraram a lei do seu Deus, eu também ignorarei seus filhos. Quanto mais aumentaram os sacerdotes, mais eles pecaram contra mim; trocaram a Glória deles por algo vergonhoso. Eles se alimentam dos pecados do meu povo e têm prazer em sua iniqüidade. Portanto, castigarei tanto o povo quanto os sacerdotes por causa dos seus caminhos, e lhes retribuirei seus atos. [...] Eles pedem conselhos a um ídolo de madeira, e de um pedaço de pau recebem resposta. Um espírito de prostituição os leva a desviar-se; eles são infiéis ao seu Deus.” (Oséias 4:6-9 e 12)

Interpretar a vida de Oséias não é fácil, ele é um símbolo dos acontecimentos de seu povo e época. Sua mensagem profética e sua história caminham lado a lado. Só para que possam ter compreensão ele casou-se com uma prostituta, Deus o deu esta ordem. Que ele vá e se case com uma prostituta. Para que o povo pudesse ver e entender o que eles estavam fazendo com Deus, e a ordem ainda era mais pesada, que ele tivesse filhos com ela. Oséias um profeta do Senhor se submeteria a essa situação para que os olhos daquele povo pudessem ser abertos para as atrocidades que estavam sendo feito do culto ao Deus verdadeiro e Santo.

Quando seus filhos começaram a nascer cada nome tinha um fato diante de Deus e do povo, o primeiro Jezreel, nome de um vale lindo entre as montanhas de Samaria e Galiléia. Deus quebraria o arco de Israel naquele vale. A segunda Desfavorecida, Deus iria desfavorecer Israel, não mais os perdoaria. Sua filha recebeu um veredicto de não favorecida. O nome dessa criança significava que Deus não teria mais compaixão do povo. O outro Não-Meu-Povo, Deus não aceitava mais aquele povo como Seu. Deus declara que a aliança com o povo estava quebrada. Deus não seria mais o seu Deus e eles não seriam mais o seu povo.

Com este casamento Deus desejava que o povo conseguisse entender suas palavras. A infidelidade daquele povo era tamanha que cegava qualquer entendimento. Não foi fácil, casar com uma prostituta e cada nome dos filhos vinha com o peso de fatos que aconteceriam com Israel por ter abandonado a adoração de fé.

Deus desejava que aquele povo tivesse um arrependimento genuíno, para que não fosse necessário os expor publicamente com as vergonhas (nudez) nas praças. Neste tempo a prostituta era exposta nua em público. Uma forma de pena a suas práticas. E Deus estava a fazer isso com uma nação.

A confiança deste povo não estava mais no Deus altíssimo, e sim em deuses estranhos que não havia feito nenhuma aliança e muito menos cumprido cada promessa como Deus de Israel havia feito. Queriam apenas satisfação sem compromisso.

Oséias viveu tão longe de nós. Sua época podemos até dizer que foi diferente da nossa, pode até ter sido em costumes e tecnologia, mas em pecado não o foi. Estamos vivendo uma época pecaminosa como a dele. Cada dia surge em nossa cidade uma nova religião, pessoas sendo escravizadas por doutrinas não bíblicas. Religiões que professam deuses estranhos e pagãos. Desde muito cedo o mundo está praticando o sincretismo religioso como forma de liberdade de culto. Os cristãos têm resistido a tudo isso, pois sabem a quem prestam cultos, não são escravos de doutrinas e deuses que estão mortos em seus delitos.

Em I Corintios Paulo adverte sobre o mesmo pecado e exorta para não nos contaminarmos com a idolatria e diz: ”Meus amados irmãos, fujam da idolatria. Estou falando a pessoas sensatas; julguem vocês mesmos o que estou dizendo. Não é verdade que o cálice da bênção que abençoamos é uma participação no sangue de Cristo, e que o pão que partimos é uma participação no corpo de Cristo? Como há somente um pão, nós, que somos muitos, somos um só corpo, pois todos participamos de um único pão. [...] Portanto, que estou querendo dizer? Será que o sacrifício oferecido a um ídolo é alguma coisa? Ou o ídolo é alguma coisa? Não! Quero dizer que o que os pagãos sacrificam é oferecido aos demônios e não a Deus, e não quero que vocês tenham comunhão com os demônios.”

A idolatria em que estamos emaranhados deve ser repensada, já não aquentamos mais o preço do nosso pecado. Não será em religiões que encontraremos salvação. Mas em Cristo Jesus. Ele quer que nos arrependamos e voltemos aos seus braços de amor e alegria verdadeira.

O castigo está próximo, arrependamos e deixamos as ordens satânicas e voltemos a Cristo redentor e Senhor. A primeira a receber a paga será a casa do Senhor que tem transgredido sua lei “Coloquem a trombeta em seus lábios! Ele vem ameaçador como uma águia sobre o templo do Senhor, porquanto quebraram a minha aliança e se rebelaram contra a minha Lei. Israel clama a mim: 'Ó nosso Deus, nós te reconhecemos! Mas Israel rejeitou o que é bom; um inimigo o perseguirá. Eles instituíram reis sem o meu consentimento; escolheram líderes sem a minha aprovação. Com prata e ouro fizeram ídolos para si, para a sua própria destruição. ” (Oséias 8:1-4 )

Lancemos fora nossa idolatria enquanto é tempo de arrependimento. O sangue de cada morto clama por justiça e Deus no alto e sublime trono tem nos cobrado cada ato de desobediência a sua lei. Acordem povos viventes assim com Deus quis que o seu povo no tempo de Oséias. Hoje Jesus está clamando nosso arrependimento, já não há mais tempo a perder. “Quem é sábio? Aquele que considerar essas coisas. Quem tem discernimento? Aquele que as compreender. Os caminhos do Senhor são justos; os justos andam neles, mas os rebeldes neles tropeçam.” (14:9)

Até a próxima... 

Participação: Nenhum Comentário

Avaliação:

  • Atualmente /5

Se você quer comentar também Clique aqui

Compartilhe ou guarde este conteúdo

Mais Matérias de Religião

Resolução mínima de 800x600. Copyright © 2014 Rede Omnia - Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial sem prévia autorização (Inciso I do Artigo 29 Lei 9.610/98).

R7 Educação