Publicidade

Acesso Restrito

A Ignorância........O Mal dos Séculos

Por: Carleial. Bernardino Mendonça

Diversos sábios da Ciência, em todos os tempos, têm se manifestado sobre a “Ignorância” dos Seres Humanos. Dentre eles, destaca-se o nosso maior jurisconsulto, Rui Barbosa, que a respeito dela afirmou: “ A chave misteriosa das desgraças que nos afligem é esta; e somente esta: a Ignorância! Ela é a mãe da servilidade e da miséria”. Alguns outros conceitos a respeito da Ignorância, dito pelos homens mais influentes do Conhecimento Humano vale a pena relembrá-los aqui.

-“Não há nada mais terrível que a Ignorância”(Goethe,1749-1832);

-“Se me perguntar o que é a morte! Respondo-te: a verdadeira morte é a Ignorância. Quantos mortos entre os vivos!” (Pitágoras, 582-497, AC);

-“A ignorância é a noite (escuridão) da Mente!” (Confúcio,551-478,AC);

-“A diferença entre um homem sábio e um homem ignorante é a mesma entre um homem vivo e um cadáver.” (Aristóteles, 384-322, AC);

-“Dar conselhos a um homem culto é supérfluo; aconselhar um ignorante é inútil.” (Sêneca, 65-2, DC);

-“A sabedoria e a razão, falam; a ignorância ladra.” (Arturo Graf, 1848-1913);

-“Nada no mundo é mais perigoso que a ignorância.”(Luther King,1968);

-“Todo aquele que não sabe, seja quem for, pode e deve entrar no rol do vulgar.” (Miguel Cervantes, 1547-1616);

-“O tolo, quando erra,queixa-se dos outros; o sábio queixa-se de si mesmo.” (Sócrates, 469-399, AC).

Estes, e centenas de outros conceitos de Ignorância, foram emitidos pelos maiores gênios do mundo e, como já dissemos, em diferentes épocas da História. E o que dizem os dicionários a respeito da Ignorância? Segundo alguns autores, “Ignorante, é o indivíduo que não sabe”; “aquele que não tem conhecimento de algo”; é “quem desconhece”; etc. De acordo com outros pensadores, o ignorante estabelece critérios que desqualifica o conhecimento alheio em favor de sua falta de conhecimento. Ele faz idéias falsas sobre si, e o mundo que o cerca, de forma errônea e deturpada. Ainda sobre a Ignorância, dizem outros sábios (quase inexistem sábios nos dias atuais) que: “ Ignorância é não saber, não querer saber ou ignorar o conhecimento científico provado e comprovado por métodos científicos e pela lógica. Embora, na linguagem popular e como termo de uso agressivo pelos próprios ignorantes; Ignorante é o “estúpido”,“burro”,”asno”,”idiota”,”imbecil”,”retardado”,”grosso”,”grosseiro”,etc.

Este Trabalho não tem essa finalidade de agredir, criticar, denegrir, denominar ou julgar quem quer que seja! Mesmo, porque se baseia em dados empíricos, observações clínicas e neuropsicológicas. O nosso propósito é expor e analisar esse terrível fator de atraso, retrocesso e estagnação do progresso; bem como, apontar a Ignorância (falta do conhecer) como fonte dos maiores conflitos entre os seres humanos e destes, com o seu meio ambiente. Como diria Rui, a Ignorância é a pior dentre todas as doenças da humanidade. Como já falamos acima, muitos homens de gênio, ao longo da História, têm se pronunciado contra a Ignorância, de modo a condená-la e a depreciá-la; muito embora tivessem eles a intenção de incentivar a aquisição do conhecimento, como fator indispensável e fundamental ao progresso e à boa convivência social.

Visto por eles e, pelo que pretendemos demonstrar aqui de forma psicobiológica, a Ignorância é, e sempre foi, o maior flagelo da Humanidade. Podemos afirmar que a falta de conhecimento foi e continua sendo a grande e maior ameaça, desde Eras mais remotas, aos dias atuais. A Ignorância tem sido causa de guerras, revoluções, levantes, atentados, terrorismo, fome, miséria, doenças, crimes; enfim; causadora de todos os infortúnio que nos fazem padecer e...morrer! Porque Rui e tantos Homens inteligentes previram e “acertaram” em suas afirmações sobre esse mal-estar das sociedades, tão explícito para quem tem um mínimo da capacidade neuronal normal. Tiveram eles capacidades de clarividência, premonição ou adivinhação? Não! Aqueles homens de gênio previram com acerto porque possuíam os dados e as evidências para preverem o futuro, graças ao vasto manancial de conhecimento, adquirido em incontáveis horas de reflexão, estudos e muita leitura inteligente, positiva e construtiva, acumulados em seus cérebros privilegiados pela Cultura. Daí, a capacidade previdente de suas mentes ricas, capazes de reflexões e de produzirem idéias brilhantes.

Qualquer cérebro que seja física, anatômica e fisiologicamente normal, que acumule conhecimento, cultura e experiências; adquirirá a capacidade de “adivinhar” e prever acontecimentos futuros. Não há mistério algum nisso; a Mente depende e funciona com os dados que o seu cérebro estocou. Quando falamos em cérebro dotado, que cria uma mente culta, não estamos nos referindo àquele que acumulou apenas conhecimentos específicos de uma determinada disciplina ou profissão, como por exemplo, um médico que só aprendeu o conhecimento médico-biológico; o engenheiro que somente estuda a prática da matemática, química e da física ; o psicólogo que se esqueceu, ou não quis se aprofundar na biologia, química, neurologia, filosofia, antropologia, sociologia e outros conhecimentos necessários à prática da terapia mental, etc. Será que prever acontecimentos futuros e conhecer as pessoas além de seus aspectos físicos e exteriores é paranormalidade ou algum atributo espiritual superior? Não! Trata-se de condição natural de um cérebro rico de conhecimentos gerais. Não, de conhecimento específicos de matemática, química, física, etc., como já vimos acima. Pode ser o melhor matemático do mundo; mas, se o seu conhecimento se restringe à matemática ou outros conhecimentos afins; não é, necessariamente uma pessoa culta.

Isso confunde muito as pessoas que avaliam a sabedoria e a inteligência com base no comportamento de profissionais de cursos notórios como, medicina, engenharia, psicologia, odontologia, advocacia, etc., que, por terem esses títulos, nós os julgamos cultos e inteligentes. É um engano! Culto é o homem que conhece, pelo menos um pouco, todas as áreas do conhecimento humano. É claro que nenhuma pessoa (nenhum cérebro) é capaz de tomar conhecimento, captando e acumulando todo o conhecimento do Universo. Todavia, quanto mais ele conhecer e adquirir conhecimentos; mais culto e sábio será; e, assim, se torna mais útil a si e a toda sociedade. Imaginemos se Pasteur, Fleming, Édson, Ford, Santos Dumont, Salk, Sabin e muitos outros sábios, não tivessem acumulado tantos conhecimentos em seus cérebros; como estaríamos agora! Sem luz, sem remédios, andando a pé, sem “voar” e , possivelmente, já extintos, devorados pelas bactérias,vírus,fungos e outros microorganismos descobertos por Pasteur e combatidos por Fleming. São muitos os cérebros repletos de conhecimentos que nos deram quase tudo que usufruímos hoje. Nunca tantos se beneficiaram tanto de tão poucos do passado; sem falarmos nas artes, literatura e na música, quase completamente deturpadas, vilipendiadas e destruídas em nossos dias (salvo algumas exceções de alguns homens maduros e cultos), substituídos que estão sendo pelos simulacros de arte e literatura, bem como, pelo barulho infernal chamado de música, pelos destituídos do conhecimento e saber superiores. A Mente, que é a principal atividade do cérebro, só é capaz de criar,fazer descobertas e orientar com acerto o comportamento das pessoas, se tiver gravados em seus neurônio conhecimentos positivos e sadios que irão dar suporte capaz de se comportarem positivamente. Não é acumulando e se condicionando com os péssimos e nefastos exemplos de muitos meios de comunicação, principalmente da Televisão, que vamos esperar melhores comportamentos das pessoas e condições humanas e dignas de vida. Pelo contrário, os exemplos diários desses veículos de comunicação estão nos levando à falência total da Moral, da Decência, do Respeito, da Honestidade, da Cultura, da Normalidade das coisas e da própria sobrevivência dos Humanos; vide os exemplos de Sodoma, Gomorra, Nínive, Roma, e demais modelos de decadência punidos pelo desregramento dos seus costumes. Até nisso, o nosso Rui previu, quando vaticinou: “ De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra; de tanto ver crescer a injustiça;de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus; o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto!” Como pode ter acertado tanto o Grande Baiano? Como já falamos, Rui previu os nossos dias, baseado nos dados gravados em seu cérebro, à custa de incontáveis horas de estudos diversificados. Como prometemos no início, não vamos nos ater nos aspectos visíveis e exteriores do comportamento ignorante, facilmente observável por muitos. Ver e analisar o comportamento exterior das pessoas é fácil e pouco científico. O importante é pesquisar e ver as motivações internas que levam os indivíduos a destruírem ou construírem um mundo melhor (hoje, mais destruído que construído).

Vamos, agora, estudar esse aspecto interno, neuropsicológico do comportamento. Iremos analisar o que acontece dentro do cérebro de alguém que procura conhecer os fatos da natureza, os dados ambientais que o cercam e por quais razões isso importa tanto na vida pessoal, familiar e social dos indivíduos cultos (que acumularam conhecimentos). Em comparação, vamos conhecer os aspectos neuropsicológicos daqueles que não enriqueceram os seus cérebros, não adquiriram e ignoraram ou ignoram o Saber e o Conhecimento. Poderíamos fazer, agora, uma regressão a todo o desenvolvimento do cérebro e da mente dos humanos, desde a pré-história aos nossos dias, para melhor explicarmos as razões pelas quais nos tornamos o “lobo do homem”(Homo hominis lúpus), como disse Plauto, em uma de suas comédias. De fato, o ignorante reage com os músculos e o sábio, com o cérebro! Daí se deduz que aquele que é mentalmente pobre (cérebro com poucas gravações) é potencialmente mais agressivo que alguém culturalmente enriquecido. Isto, é muito fácil de se observar, quando se verifica a qualidade intelectual dos habitantes das localidades onde acontece o maior número de agressões físicas,homicídios e outros delitos.

Infelizmente não se pode entender melhor as conseqüências do Saber e do Ignorar sem termos uma noção razoável sobre as funções Psicobiológicas que viabilizam a aquisição, acumulação e preservação do Conhecimento adquirido pelo Cérebro, bem como a utilização e aplicação desse Conhecimento pela Mente de cada um de nós. Em outras palavras, de que modo a Mente utiliza, para si e para os outros, o conhecimento que o seu cérebro acumulou? É aqui que se encontra o grande problema que encerra todos os acontecimentos passados, presentes e futuros de todos os Povos. Vamos descrever, em breves palavras, os caminhos internos (ou neuropsicológicos) da motivação do comportamento humano. Muitos outros seres da escala evolutiva biológica têm, e tiveram mecanismos psicobiológicos parecidos com os dos humanos. Porém, não vamos regredir demais na Biologia Evolutiva e Comparada; para facilitarmos o entendimento do leitor deste Trabalho, cuja finalidade é a de popularizar o conhecimento comportamental, sob a ótica da Psicobiologia e da Neuropsicologia. Não trataremos deste tema sob o prisma usual de se isolar,separar e basear-se o comportamento humano apenas em seu aspecto exterior psicológico,biológico,sociológico ou político. Seguiremos os caminhos neuro e psicobiológicos da motivação interna, para tentarmos explicar as razões que levaram (e levam) os humanos à sua própria deterioração e falência física, espiritual, moral e ambiental.

Veremos porque, apesar da gravidade progressiva desse processo de autodestruição; poucos o percebem, apesar de sermos quase 7.000.000.000 de “navegantes” de uma “nau” sem rumo e, o que é pior... ”fazendo água”. Alguns afirmam que os avanços tecnológicos modernos propiciaram mais conforto e longevidade. Na verdade, prolongaram a duração de vida, mas deterioraram o viver, tornando o homem um triste Ser longevo.

Na aprendizagem, para se obter o conhecimento, o cérebro capta para o seu interior os fatos e acontecimentos do meio ambiente que, estimulando os nossos cinco sentidos, são encaminhados aos seus neurônios, a fim de serem gravados e armazenados para a sua utilização pela Mente, no comportamento do dia-a-dia. Como essa gravação se origina da visão, da audição, do cheiro, do gosto e do tato; fica claro que tudo que vemos,escutamos,cheiramos, tateamos e sentimos o gosto, é levado ao cérebro pelos respectivos receptores nervosos desses sentidos. As vias de acesso ao cérebro são os nervos que levam as “coisas” do mundo (imagens, odores, sons, etc.) codificadas sob a forma de corrente eletroquímica (mais química que elétrica nos humanos) que no interior cerebral esses estímulos são descodificados e seletivamente gravados e armazenados em grupos de neurônios específicos para cada tipo de “coisa” que foi captada pelos órgãos dos sentidos. Por exemplo, as células nervosas da retina, no caso da visão, que levam através do nervo óptico, as imagens que enxergamos para uma determinada área do cérebro chamada de “lobo occipital”. O que ouvimos, do mesmo modo vai para outro centro cortical primário, denominado “lobo temporal”; assim acontecendo com os outros órgãos dos sentidos que foram criados para dotar o nosso cérebro com o máximo de informações do meio que o cerca, a fim de enriquecermos a nossa Mente para nos comportarmos e agirmos no mundo como seres superiores e evitar que vivamos como bestas-feras; como estamos fazendo, na atualidade. Como o cérebro é todo interligado e suas áreas são interativas entre si, com o seu meio interno (fisiológico) e com o ambiente externo (mente-comportamento), podemos imaginar o que seja uma vida mental de uma pessoa, onde bilhões de neurônios se relacionam e se interagem, trocando milhões de informações a cada minuto!

Para melhor assimilarmos, vamos repetir: todas as sensações que passam pelos nossos olhos, ouvidos, narinas, boca e pele “viajam” pelos nervos até aqueles grupos de neurônios, onde ficarão guardados para que a Mente as utilize no comportamento da pessoa; tanto para o seu bem-estar, como para o bem social, considerando que não vivemos isolados e que somos seres sociais. É assim que deveria ser e para este fim fomos criados e recebemos um extraordinário e miraculoso órgão: o Cérebro. Cada cérebro atuando por meio da sua mente, comportando-se e agindo positivamente para a sobrevivência do homem-animal (cérebro-mente-Inconsciente) e do homem-intelectual (cérebro-mente-Consciente); bem como, responsável, também, pela manutenção e sobrevivência da vida animal e inteligente da espécie dos humanos. Entretanto, lamentavelmente, a Mente da maioria das pessoas está voltada, apenas, para a própria sobrevivência animal, visto que os cérebros que formam essa maioria encontram-se sem “estoque” de gravações positivas, importantes e úteis ao indivíduo e aos demais seres que compõem a vida na Terra; como iremos verificar no decorrer deste Trabalho.

Todas as atividades do homem são regidas pela Mente do seu Cérebro. Não existe comportamento animal que não se origine da Mente, que por sua vez, se origina das “coisas” que o seu cérebro gravou e guardou. Nos animais não-humanos o comportamento segue as mesmas regras; porém, na maior parte, dirigido e controlado pela programação genética, natural e específica para cada espécie. Eles agem sob a orientação do que já se encontra gravado por sua herança genética; é o que chamamos “instinto animal”. Os animais inferiores são muito instintivos e se comportam pelos impulsos mais primários, como, o da fome, da sede e do sexo; sendo este, exclusivamente para a procriação ( o erotismo é uma invenção dos humanos). Estes impulsos primários garantem a sobrevivência física do animal, pouco dependendo da aprendizagem intelectual; seus instintos genéticos já são suficientes para se comportarem de forma a preservarem e perpetuarem as suas espécies. Suas mentes são pobres, por isso são irracionais, faltando-lhes o conhecimento intelectual da forma que nós humanos possuímos. A mente dos animais inferiores é incapaz de dotá-los de um comportamento inteligente, amplo e rico comparado ao dos humanos, porque o seu cérebro tem poucos conhecimentos sofisticados gravados do mundo exterior, na proporção de suas capacidades cerebrais, na evolução desse órgão na escala zoológica. Primatas de cérebros mais desenvolvidos, como os chimpanzés, têm mente mais evoluída para se comportarem de modo mais sociável e cooperativo que os répteis, como as cobras e lagartos. Que fique bem claro: não há comportamento sem a existência de uma programação criada pelas gravações das “coisas” do mundo que foram estocadas no cérebro; isto é, arquivadas na memória do tecido cerebral. A mente, de posse dessa programação, motiva e impulsiona o indivíduo a se comportar bem ou mal; agir positiva ou negativamente; conforme gravou “coisas” boas ou más, positivas e úteis ou negativas e inúteis.

Desta maneira, cérebros com poucas gravações (memória) criarão mentes “pobres”,”estreitas”,”curtas” e pouco produtivas para si e para os outros. Ao contrário, cérebro com riqueza de dados armazenados em seus neurônios proporcionará à sua mente riqueza comportamental, tornando mais sábio o portador desse cérebro, dotando-o com uma maior inteligência e capacidade de ser útil a si mesmo e à Humanidade. Pensemos nos homens de Ciência! Aqueles estudiosos e cultos que nos deram as vitaminas, os remédios, as vacinas e tantos outros meios de salvação do nosso corpo. Pensemos nos gênios que nos proporcionaram os meios rápidos de transporte e nos fazem sonhar acordados vendo e ouvindo as verdadeiras obras de arte, frutos de autênticos representantes da Espécie Humana. Temos os veículos, a televisão, os computadores, a eletricidade, a luz,os aparelhos musicais e tantos outros frutos de cérebros que armazenaram informações positivas,agradáveis e saudáveis que proporcionaram a nós e à Humanidade a continuidade da Vida. Todas essas dádivas que recebemos desses benfeitores cultos foram, exclusivamente, devidas a sua dedicação e incontáveis horas de estudo, leitura e à pesquisa.

É importante sabermos que quase todos esses grandes Homens de Ciência eram bem adultos e até avançados em idade; os poucos mais novos, como Carlos Chagas, apesar de pouco mais de 20 anos, viviam debruçados nos estudos e pesquisas; ao contrário da maioria dos chamados “jovens” de hoje que vivem debruçados e mergulhados no fumo, na bebida (e, haja bebidas para atender a tantos cérebros doentes e carentes de Conhecimento e do Saber), no sexismo-compulsivo, no exibicionismo material, no consumismo idiota, no vazio existencial e na nulidade social. Se aqueles cientistas ( cientista é todo aquele que é amigo e se dedica à Ciência) geniais não tivessem tanto estudo, esforço, dedicação e altruísmo; não teriam criado nada e hoje estaríamos às escuras e seríamos todos meros moykanos emplumados, medíocres, vazios e inúteis que usam de forma maldosa,nociva e estúpida os inventos e criações dos nossos antepassados inteligentes que tanto estudaram,pesquisaram e até se mortificaram, como o casal Pierre e Marie Curie que morreram precocemente para nos dar os Raios X. Em outras palavras, esses ignorantes utilizam para o mal e na destruição exibicionista, as descobertas e criações dos nossos Homens sábios do passado; exemplo? O carro, que foi inventado por Ford, para nos proporcionar comodidade e rapidez na locomoção. E o que fazem com ele os estúpidos e imaturos motoristas? Exibem-se para os outros imaturos em correrias idiotas e irracionais, com, ou sem, os seus neurônios mergulhados no álcool e na ignorância, morrendo e matando mais de 50.000 pessoas e ferindo outras 350.000, nos mais de 300.000 acidentes por ano,somente em nosso País.

Muitas descobertas e inventos de homens que se negaram a ficar ignorantes ( o contrário da grande maioria dos atuais) são hoje utilizados pelas mentes ignorantes e vazias, a fim de darem vazão às frustrações e ansiedade geradas por suas vidas inúteis. Utilizando o carro, a moto, a internet e até medicamentos para a prática do mal, esses ignorantes desconhecem as conseqüências pessoais, morais, econômicas e sociais do seu comportamento irresponsável. Quanto mais você conhecer e nutrir o seu cérebro com dados (“coisas”= estímulos) positivos; mais a sua mente fará o melhor uso desses dados positivos que se acumularam nos neurônios. Quanto mais você conhecer e alimentar o seu cérebro com informações, dados e outras “coisas” negativas, nocivas e inúteis; mais você agirá de forma negativa, nociva e prejudicial a você e a todos os demais Seres que o rodeiam. Você será mais um, dos bilhões de outras pessoas inconseqüentes, irresponsáveis e causadores da ampla e irreversível destruição deste pobre Planeta Terra que teve a triste e infeliz incumbência de abrigar tantos ignorantes que nem percebem a sua agonia devida aos maus tratos deles. Mas, o que são as “coisas” ou fatos positivos e negativos do mundo que o seu cérebro assimila,grava, acumula (estoca) e faz a sua mente por em prática aquilo que guardou? Você se orientará e se comportará, ao longo da sua existência, de acordo com o “mapa” e a programação gravada no seu tecido cerebral. Explicando mais; “coisas” positivas e negativas são os milhões de estímulos que entram a cada minuto para o interior do cérebro, através dos cinco sentidos, que são as “antenas” desse mais importante órgão da vida. Repetindo; é tudo que enxergamos,ouvimos,sentimos o gosto, cheiramos e o que toca a nossa epiderme. Todos eles são dirigidos para o cérebro por receptores especiais que os encaminham para núcleos, centros ou áreas específicas. Porém, devemos lembrar que todos esses sistemas neuronais do encéfalo (cérebro e anexos) são integrados e interativos, propiciando à Mente uma atividade infinitamente complexa, multiforme e, ainda, misteriosa.

Qualquer comportamento requer a interação desses diversos núcleos, centros ou áreas cerebrais. Os agrupamentos de neurônios que mais estão relacionados ao nosso comportamento e mais conhecidos pelos neurocientistas são: o córtex cerebral, com dezenas de áreas específicas, detém quase a metade de todos os neurônios do cérebro; o hipocampo estrutura muito importante para a memória; o corpo caloso, que é responsável pela ligação e transferência de informações entre os dois hemisférios cerebrais (“cérebro direito” e “cérebro esquerdo”); o sistema límbico, com os seus componentes fundamentais para o nosso agir, como o hipotálamo e a hipófise. Relembramos que não haveria aprendizagem e nem cultura sem a interveniência dos “mensageiros químicos” do cérebro, que são os neurotransmissores compostos químicos que atuam entre os neurônios e os demais componentes cerebrais levando e trazendo informações indispensáveis à vida interna (orgânica) e externa (comportamento) da pessoa. Sem esses “mensageiros”,como a dopamina,serotonina,acetilcolina e a tão badalada adrenalina(muito falada pelos aventureiros que pouco ou nada dela eles conhecem) e alguns outros neuroquímicos, não teríamos vida mental e, muito menos, o conhecimento e a cultura que são os focos deste Trabalho. Voltando à aquisição do conhecimento pelo cérebro, vimos algumas áreas específicas, mais importantes, relacionadas ao Saber , à Cultura e à aquisição do conhecimento. Deus por meio da Natureza nos deu tudo isso para que não ficássemos perdidos na escuridão da ignorância. Como já citamos muitas vezes, todos os fatos e acontecimentos da vida são percebidos pelos nossos sentidos e levados, em forma de código pelos nervos, para as áreas cerebrais relacionadas com o Saber, onde são traduzidos (descodificados), analisados, elaborados e reservados. Assim, estocados (guardados) no interior celular, esses dados irão constituir a atividade mental ou vida mental que conduzirá mal ou bem a nossa existência terrena (e, extraterrena, como queiram acreditar), concorrendo para uma interação positiva e útil; ou , negativa e nociva para o indivíduo, para todos nós e para o planeta; dependendo do que essa pessoa gravou e armazenou em sua memória.

Para se falar da aquisição do conhecimento, não se deve esquecer-se daquelas áreas do cérebro (repetimos para melhor entendermos) tão importantes para gravação e estocagem dos dados que são captados do mundo pelos cinco sentidos (fora algum outro que ainda não conhecemos) e levados para o interior do cérebro formando a atividade mental, compreendendo a vida mental, espiritual e psicológica de todos nós. Para tão importante e vital atividade, a função do neocórtex (camada de neurônios mais recentemente incorporada ao cérebro) é fundamental no processo de aquisição intelectual. Considerando que o cérebro humano tem cerca de 80 a 100 bilhões de neurônios (células que gravam, além de outras funções) e, que cada um deles se liga a milhares de outros neurônios, dá para se avaliar que, quanto mais a pessoa adquire conhecimentos do mundo, mais áreas corticais são ocupadas pelo Saber. Então, mais culta será, mais inteligente se tornará, mais conscientizada, útil e positiva será para si e para todos. Imaginemos o mundo, se a maioria dos mais de 6,5 bilhões de pessoas tivesse essa conscientização! O mundo e a vida seriam um ”mar de rosas”. Infelizmente, temos o contrário, a grande maioria dos seres humanos está agindo e se comportando de modo alienado, animalesco e bestial. É de vital importância para todos, a aquisição do conhecimento e,que a falta do Saber, leva à ignorância que, por sua vez, é a causa de toda ruína da humanidade. Porque esta falta de conhecimento é tão grave a ponto de deteriorar e aniquilar a espécie humana? O cérebro é muito plástico (maleável); isto é, sofre modificações estruturais e fisiológicas. Tudo que aprendemos quando assimilamos as informações que os nossos olhos viram, os nossos ouvidos ouviram, as nossas narinas cheiraram a nossa boca provou e a nossa pela sentiu; tudo é levado para o interior do cérebro, na porção de milhares de dados (estímulos) a cada minuto, é armazenado para ser utilizado no uso da mente.

Como a mente humana é quem governa o mundo e conduz as pessoas; vê-se que, quem tiver mais dados (informações) armazenados, terá uma mente mais rica, capaz, inteligente e sábia; com mais chances de dominar a matéria e as pessoas menos esclarecidas. Como o enriquecimento mental e a sabedoria são adquiridos por meio do estudo, da leitura, da vivência e da experiência; verifica-se o quanto é difícil, penoso e até onerosa a aquisição do Saber. Após a invenção da escrita, do papel e da imprensa; o meio mais fácil, prático e accessível para se obter o conhecimento, é a leitura. Não resta dúvida que o homem que lê, vale por dois (ou mais). Entretanto, não é qualquer leitura que torna uma pessoa culta, sábia, inteligente e consciente. Somente a assimilação de “coisas” positivas é que nos dará condições de sermos verdadeiramente humanos, dignos, honestos, construtivos, úteis e pacíficos. Quando se aprende e se apreende alguma coisa (positiva ou negativa), acontecem modificações e alterações no tecido cerebral e em sua fisiologia. Isto é, o cérebro se modifica em sua estrutura, morfologia e no seu funcionamento. A plasticidade do cérebro é hoje bastante reconhecida. A aquisição de novos conhecimentos leva à alterações estruturais e fisiológicas dos meios de comunicação intracerebrais. Estas alterações são notadas no espessamento dos axônios, dendrites, sinapses e outras ramificações dos meios de comunicação neurais. Quanto mais informações são levadas do mundo para o cérebro; mais alterações neuronais se evidenciam, tornando o cérebro mais capaz de produzir uma mente rica e útil para o seu “dono” e para a Sociedade. A perda ou a diminuição do número de neurônios (exceto nas patologias ou má-formação genética) tem implicação na falta do uso neuronal; assim como o sistema muscular necessita exercitar-se para se manter forte e saudável; o sistema nervoso central precisa do exercício intelectual para o fortalecimento das suas estruturas e o enriquecimento mental. E, nada melhor para o cérebro e para mente do que a prática do exercício cultural, através da aquisição de estímulos positivos e sadios oriundos da boa leitura, da boa música e do bom gosto. Antes, pensava-se que as células do cérebro não se regeneravam e o seu número era estanque. Hoje, sabemos que não é assim; novos neurônios são formados em qualquer idade, dependendo das necessidades neurofisiológicas, mentais e comportamentais da pessoa. Esse acréscimo e geração de neurônios dependem também do grau de conhecimento da pessoa de sua alimentação, do seu meio ambiente, do uso que ela faz da sua mente, etc. É bem verdadeiro o ditado popular: “ A falta de uso atrofia o órgão”. De fato, quem tem o cérebro pobre de conhecimento alem de tê-lo atrofiado, não pode ter uma mente sadia, fértil e rica. A atrofia cerebral e a pobreza mental acarretam incontáveis conseqüências nocivas e negativas individuais e sociais. Pessoas que não exercitam os seus cérebros e não enriquecem as suas mentes, principalmente através da boa leitura e boa música, são entraves na progressão da espécie ,contribuindo para a regressão ao estágios da força muscular animal e da barbárie; como acontece na atualidade e em todos os quadrantes da terra. Desde 1983, no livro “A Implosão do Homem” (Ed.Interlivros de Minas Gerais) vimos alertando sobre a decadência humana, em decorrência de sua regressão mental. Na época, afirmamos que a maioria das pessoas estava regredindo na escala zoológica, substituindo o uso da razão, que é a maior e a mais importante capacidade mental dos humanos (seu consciente cerebral); pelo uso dos músculos, atividade típica dos animais inferiores, das feras que, por não terem o consciente cerebral, agem de forma bruta e inconseqüente, dirigidas pelo inconsciente de seus cérebros. É exatamente o que vem acontecendo conosco, que há décadas (mais ou menos a partir dos anos 60) estamos regressivamente perdendo a capacidade humana de viver sob a direção e comando da mente consciente, que representa a inteligência, a sabedoria, o bom senso, o diálogo, a paz e outros atributos superiores; para agirmos e nos comportarmos com os músculos; tal como se comportam os bichos que por não terem a capacidade do raciocínio lógico e da inteligência superior; usam os seus músculos para sobreviverem em defesa dos predadores mais musculosos que atacam os menos dotados fisicamente.

Bilhões de pessoas estão assim, comportando-se como animais irracionais por terem abandonado o uso da razão e do bom-senso; pelo domínio da ignorância, da estupidez e da irracionalidade animal. Essa ignorância, como já repetidamente explicamos, não se trata de rótulo pejorativo, maldoso ou depreciativo. Ignorante é aquele que não pode ou não se interessou em obter conhecimentos através da leitura útil e positiva; da falta da audição da harmonia sonora; da ausência da visão de cenas bonitas, salutares e agradáveis; da privação do gosto sadio do que é bom e natural; da falta do contato epidérmico com o frescor da brisa nas manhas primaveris e do nosso isolamento dos odores e perfumes das flores silvestres. Ao contrário, empobrecemos a nossa mente com os piores e mais nocivos estímulos artificiais que criamos pelo egoísmo, pela vaidade e pela animalidade do irracionalismo, frutos da ignorância. Esta, é a causadora de todos os males e mazelas da humanidade; desde um ato isolado de um indivíduo agressivo numa tenda no Ártico, às piores e mais mortíferas das doenças como o câncer. Tudo tem alguma ligação com a falta de conhecimentos que é a Ignorância. Uma comparação entre o comportamento de uma pessoa com conhecimentos gerais (sábia e culta) e outra com pouco conhecimento adquirido (ignorante e inculto) ,nos dará uma compreensão maior dos efeitos e conseqüências negativas para todos.

Pessoa sábia é aquela que gravou em seu cérebro os estímulos positivos e úteis da leitura, do estudo, da visão , da audição, do gosto, do cheiro e do tato. Estímulos positivos são aqueles que vêm da boa leitura, da visão de coisas agradáveis e construtivas, da audição de som inteligente, harmonioso, belo e suave; do cheiro agradável; do paladar, do bom e nutritivo alimento e do tato e contato com a suavidade dos elementos e coisas naturais da vida. Agora, vejamos uma pessoa ignorante; isto é aquela que ignora e não conhece os valores reais do mundo e da natureza. Uma pessoa se encontra nessa pobreza mental porque assimilou fatos e acontecimentos inúteis, negativos e nocivos. Na maioria das vezes ela não tem a mínima noção das “coisas” negativas que assimilou e gravou. O seu cérebro está repleto de gravações de cenas violentas, agressivas, repugnantes, abjetas e prostituídas que viu na televisão, no cinema, nos jornais, nas revistas, no teatro, em livros, na internet e nos diversos outros meios de comunicação, notadamente nas cenas imorais e amorais ao alcance de todos. O cérebro do ignorante está, também, cheio de gravações negativas provenientes do som distorcido do lixo “musical” que quase todos escutam, no mais alto grau da degradação sonora, dia e noite. Em qualquer lugar do mundo encontraremos uma dessas pessoas ouvindo e promovendo a barulheira infernal de alguma coisa pouco ou nada inteligível! Ainda, o ignorante por estar abrutalhado, não se interessa por sentir o aroma de rosas silvestres. Ele não vai ter o conhecimento necessário para saber escolher os alimentos nutritivos e salutares para a preservação de sua própria saúde e da vida; daí a obesidade generalizada no mundo. O obeso o é por ignorância (por não ter o conhecimento bioquímico do metabolismo dos carboidratos);por ter uma disposição genética; por sofrer alguma disfunção endócrina ou padece de conflitos psicobiológicos, como a ansiedade, depressão e alguns complexos. Além disso, por não ter o conhecimento biológico, não se preocupa ou não dá importância aos micróbios, pois não os vendo, não vai crer na sua existência e,daí, por quais motivos ele vai ter higiene? Quando limpa muito os utensílios da cozinha, por exemplo, ele o faz apenas pela estética e pela beleza de ver e mostrar reluzentes esses objetos; e, não, por preocupação sanitária e de saúde. Uma pessoa ignorante pega em dinheiro (chega a passar o dedo na língua para separar as cédulas) e em qualquer outro veículo transmissor de microrganismos patogênicos e depois vai pegar nos alimentos que come,vende e manuseia em seu uso e das demais pessoas ignorantes que lidam com ele, inclusive você que está lendo este Trabalho.

O simples lavar as mãos antes de pegar o alimento é pouco seguido por quem ignora a assepsia. Veja de onde mais vêm as doenças e epidemias mais agressivas! Dos países mais pobres mental e materialmente mais ignorantes. Note a facilidade maior em contrair infecções gastrointestinais das pessoas nesse mesmo estado mental que comem qualquer coisa vendida em calçadas e nas vias públicas. Observe nos supermercados ou em outros locais de vendas alimentícias que quase todos compram embutidos, refrigerantes, enlatados e qualquer outro alimento sem ao menos lerem o que está escrito nas caixas e latas; e, muito menos querem saber os ingredientes do alimento que estão levando para casa. Até as datas de seus vencimentos são ignoradas e quando lidos, nunca vão saber o significado das substâncias químicas que contém; assim, vão se envenenando e envenenando os outros, sem ter a mínima noção do que estão comendo ou vendendo. Não é por coincidência que a incidência do câncer está se elevando tanto na população mundial; todo dia temos conhecimento de algum parente, amigo, colega, vizinhos e conhecidos ou não, que estão acometidos por essa doença ou que morreram dela.

Estes são apenas alguns poucos exemplos dos efeitos nocivos da Ignorância. O que falar da devastação das florestas, da poluição do ar, da terra e das águas? As queimadas, as drogas (em que os imaturos ignorantes buscam preencher com as fantasias químicas, os seus vazios existenciais),a bebida (onde em cada esquina os imaturos ignorantes tentam “afogar” as suas nulidades no álcool), no fumo (onde os ignorantes queimam os seus pulmões para aquecerem e esquecerem suas carências existenciais) e tantos outros males individuais e sociais decorrentes da falta do Conhecer. A Ignorância é a pior doença e a causa de todos os males da humanidade, em todos os tempos. Por ignorar e por desconhecer as conseqüências futuras dos seus atos; o ignorante é antes de tudo um irresponsável (sem culpa) pessoal e social. Não há Mal que não tenha a participação da ignorância. Já se perguntou por que os piores e mais corruptos políticos e governantes do planeta estão nos países mais atrasados material e mentalmente? Veja, países que apesar de possuírem imensas riquezas minerais, vivem eternamente deitados no berço, não muito esplêndido, da miséria material,mental,moral e espiritual ! Convivem eles na pobreza geral porque a maioria de suas populações ignoram o valor e a importância do voto eleitoral, desconhecendo as terríveis conseqüências sociais advindas por não saberem escolher os seus representantes. Elegem políticos e governantes que serão seus futuros algozes, porque não possuem cultura geral armazenada em seus cérebros para criarem mentes competentes e ricas capazes de fazerem escolhas acertadas. Isto se verifica não apenas na política; mas, em todas as atividades humanas, pois o conhecimento é a chave do desenvolvimento pessoal e social das populações. É cultivando a Ignorância que os maus políticos e governantes se mantém eternamente no poder, às custas do voto fácil e inconseqüente das pessoas de pouco saber, cujo número aumenta geometricamente. É uma gigantesca “bola de neve” em que a ignorância (pobreza mental) leva o país à pobreza geral, não propiciando condições para o desenvolvimento da mente, que por sua vez, gera mais miséria e, assim, sucessivamente. Vale dizer que ninguém pode ser totalmente ignorante ou sabiamente completo; porque é impossível uma pessoa não conter nada gravado em suas células nervosas e nem tampouco alguém acumular todo o conhecimento humano em seu cérebro. Dessa forma, a contribuição de cada ser humano é proporcional à sua capacidade mental. Todas as pessoas são iguais perante o Criador e à Natureza; o que nos diferencia um do outro é a qualidade e a quantidade do que coletamos do mundo que nos cerca, durante a nossa existência terrena. Todavia, não é bastante que gravemos somente os eventos do meio ambiente que está perto de nós; mas sim, procuremos saber(lendo,ouvindo e vendo) de todas as informações sobre os acontecimentos do Planeta e do Cosmos. Se gravarmos estímulos positivos, a memória neuronal criará uma Mente rica, útil, bela, inteligente e criativa. Porém, se gravarmos estímulos negativos como a visão de cenas grosseiras,grotescas, de horror, de ódio, violência, armas; caso não tenhamos lido boas leituras, adquirido uma cultura vasta,variada e ouvindo aquela ensurdecedora barulheira sonora dos “bate-estacas” que quase todos ouvem, pregados nas orelhas...então estamos perdidos ; pois a grande maioria das mentes do mundo será incapaz de contribuir e ser útil a si e aos demais Seres Viventes.

Quando iniciamos este Trabalho, falamos das previsões dos grandes homens, como o nosso Rui, que vaticinaram com acerto o que hoje acontece e as conseqüências nocivas e prejudiciais que nos afligem e nos fazem sofrer, como por exemplo, a desonestidade, a falta de caráter, a amoralidade e imoralidade reinantes em todos os setores da sociedade, que pela nossa ignorância e omissão (dela recorrente), deixamos que se tornassem crônicas e contumazes. Com o cérebro deficiente em informações do mundo, a mente empobrece e pouco ou nada pode prever como fizeram aqueles homens de Ciência, que nos deram tantos inventos e criações maravilhosas e salutares. Prever acontecimentos futuros requer cérebro culto e mente rica; cérebros que tenham em seu interior boas e positivas gravações. Quem gastou ou gasta o precioso tempo vendo o lixo da maioria dos programas de televisão, ouvindo a barulheira infernal do som desestruturado dos ruídos de “bate-estacas”, afogando os seus pobres e escassos neurônios nos incontáveis botecos de calçadas, rebolando e pulando nas noitadas fanks, fenks, finks, fonks e funks; embriagando-se e consumindo drogas e alucinógenos para ludibriarem as suas pobres e nulas existências; estão perdidos nas névoas da Ignorância e da pouca valia existencial própria e dos outros. Raríssimas são as pessoas de hoje, principalmente as de menos idade, que sejam capazes de enxergar e prever qualquer coisa além do próprio umbigo. Michel de Nostredames (1503-1566), o mais célebre dos videntes, tornou-se conhecido por suas acertadas previsões em muitos séculos de antecedência. Nostradamus, além do cérebro privilegiado, anatômico e fisiologicamente normal, possuía um vasto “estoque” de gravações positivas e úteis que os seus olhos viram, seus ouvidos ouviram, suas experiências notaram e a sua sensibilidade sentira. Ele era um grande estudioso da medicina, astrologia, astronomia, química, física, teologia e literatura. Não era um mágico, mago ou feiticeiro; era um homem normal com muita cultura geral obtida de sua enorme curiosidade, de seus estudos, leitura,observação,pesquisas e análise das “coisas” que via,ouvia,cheirava e sentia. Se esse sábio francês vivesse hoje, lendo tolices nas muitas literaturas vulgares; assistindo filmes e programas de televisão; vendo pornografia (accessível a qualquer gosto doentio) em tudo e na Internet; ouvindo com fones de orelhas a imensa, estridente e distorcida aberração sonora dos “bate-estacas”;sentindo e cheirando o odor nauseabundo do nosso lixo diário; provando o gosto da comida transgênica,transgordurada,agrotoxicada e intoxicada! Ainda, se Nostradamus vivesse entre nós, sentido na pele a nossa decadência material, moral e espiritual; por certo o cérebro desse sábio , percebendo, assimilando e arquivando todos esses estímulos e informações negativas e nocivas destes nossos dias...; estaria ele com a sua mente tão negativamente “carregada” que seria incapaz de contribuir para o nosso bem social e muito menos seria capaz de enxergar “um palmo diante do nariz”. Para finalizar, o leitor pode aproveitar esta oportunidade para verificar, analisar e avaliar a sua in (competência) mental (grau de Ignorância), da sua família, dos seus amigos, colegas, vizinhos e conhecidos. Para verificar a sua ignorância, basta que saiba distinguir e escolher o que é bom, importante, agradável e útil para si e para todos. É só ver o que você acumulou e está acumulando em seu cérebro, para saber o que foi, é, e o que será(e o que está sendo) para você mesmo e para toda a Sociedade, no sentido amplo, universal.

Não é difícil notar-se os vários sintomas da Ignorância, ou seja,os múltiplos sinais de uma pessoa alienada dos valores humanos autênticos. O ignorante (aquele que ignora), dentre outros, demonstra os seguintes sinais:

-Não estuda, não gosta de estudar e detesta quem estuda;

-Não vê e nem se interessa por ver as “coisas” belas da Natureza; como por exemplo, não aprecia o por do sol, o orvalho da manhã, as flores da Primavera, não admira o céu estrelado, etc.;

-Não gosta e detesta a música harmoniosa e clássica;

-Fala alto, ouve tudo alto e faz um barulho danado em qualquer lugar em que esteja;

-Não tem limites para nada;

-Muitos ignorantes são desonestos e não se incomodam em dar prejuízos aos demais, principalmente quanto aos bens públicos; ignorando que o governo manipula e compra esses bens com o dinheiro do Povo;

-A maioria é agressiva e age com violência quando encontra oposição aos seus atos e comportamentos instintivo

-bestiais;

-Tendem a formar grupos com pessoas de mesma capacidade mental, a fim de se sentirem fortes, poderosos e seguros; além de outros inúmeros sinais que uma pessoa ignorante apresenta que deve servir de alerta para ajudá-la a se precaver e a se preservar. É importante que todos saibam principalmente políticos, governantes e autoridades, que a FRUSTRAÇÃO é a manifestação mais evidente e prejudicial da Ignorância. A pessoa com poucos conhecimentos; tem reduzida a sua capacidade mental e, assim, encontra poucas oportunidades de “vencer na vida” e sentir-se realizada em empregos e trabalhos melhores remunerados, numa Sociedade Capitalista como as do mundo atual. O ignorante, por ter poucas ou escassas informações intelectuais, se sujeita a subempregos ou a empregos aviltantes da personalidade, a fim de sobreviver; pois as funções melhores e mais remuneradas são para aqueles que assimilaram mais conhecimentos científicos e literários em seus cérebros. Daí, serem rejeitados para a ocupação de trabalhos, funções e empregos mais remunerados, valorizados, desejados e mais respeitados socialmente. Por mais que se queira contemporizar, todos ou quase todos valorizam mais um mau médico que um excelente gari ou um ótimo servente de pedreiro; dá mais reconhecimento social a um político corrupto que a um honesto catador de papéis ! Quem dizer ou achar o contrário é um ignorante imaturo ou é um demagogo que quer se eleger às custas da Ignorância dos outros ignorantes ou das pessoas menos favorecidas. Falando da Frustração, a maioria das pessoas ignorantes (que desconhece as Ciências) quando se dá conta da sua situação econômica, financeira, cultural e social e, antevê seu futuro não muito promissor, em um mundo cada vez mais sofisticado, tecnologizado, mais exigente, mais seletivo e mais concorrido por quase 7.000.000.000 de pessoas em busca da própria sobrevivência física e animal! É de se ver que essa sobrevivência fica mais difícil para todos que não puderam ou não quiseram acumular a riqueza e a grandeza do Saber, em seus Cérebros e Mentes. Não devemos estranhar e nem nos surpreendermos com a possibilidade, não muito remota, de voltarmos ao canibalismo. Parece que a antropofagia já está acontecendo em alguns locais mais pobres e populosos do Planeta!

Podemos listar e considerar a Ignorância como a mais grave e mais epidêmica das doenças que ameaçam a humanidade. Como ela tem crescimento geométrico na escala numérica populacional; como a população mundial aumenta diariamente e todos precisam sobreviver; e, para sobreviver cada terráqueo necessita ter mais conhecimento que o outro; e, para se acumular conhecimentos é necessário dinheiro, tempo, abnegação, muito estudo, pesquisas, etc. vê-se que para a maioria das pessoas, principalmente moykanos e outros tribais; é muito mais agradável estourar os tímpanos e arriscar a pele nas noitadas dos bailes funkerosos e nos finais de semestres, copiarem suas provas da Internet e colarem do vizinho da carteira mais próximo, ou outros meios possíveis e imaginados de burlarem professores,Escolas, eles mesmos e à Sociedade. “Curtir” e “viajar” é bem “mais melhor” que “queimar as pestanas” nas insones madrugadas solitárias, debruçado em pilhas de livros em casa ou nas bancadas de um laboratório científico em incontável busca por remédios contra a ignorância e os muitos outros males que afligem a Humanidade. Como a Ignorância é a mãe de todos os vícios e doenças; ela é a origem e a fonte maior da Frustração. E, o que é a Frustração? Frustração é o sentimento de revolta por não termos o que desejaríamos TER; e, de não sermos o que gostaríamos de SER.

Aí, temos as razões que explicam a agressividade e a violência das pessoas, em grupos ou individualmente, que picham e danificam paredes, muros, portas, edifícios, casas, monumentos, igrejas e tudo que encontram pela frente. Agridem,roubam,esfolam e matam qualquer Ser vivo animal, vegetal ou mineral que tem a infelicidade de cruzarem os caminhos dessas bestas-humanas. Como o não-saber (ignorância) é,hoje, a maior causa da frustração,principalmente dos menores de 40 anos; pode-se avaliar o perigo presente e futuro que todos nós estamos expostos. Para se entender, exemplificar e melhor visualizar a veracidade e seriedade disso, é suficiente pensarmos o quanto é difícil e raro (pelo menos por enquanto), encontrarmos ou ouvirmos falar em “bandos”,”gangues”,”tribos”, ”quadrilhas”, ou “galeras”, compostas de médicos,engenheiros,dentistas,psicólogos e de outros profissionais;que andem por aí, pichando,destruindo,depredando os bens públicos e particulares e, muito menos, atacando,agredindo,roubando e matando pobres e desamparados transeuntes nas ruas de quaisquer cidades do mundo. Lembre-se que a falta de cultura, o não-saber, o desconhecimento dos fatos da Natureza, que são os fundamentos da Ignorância; e, esta é a geradora da Frustração; que, por sua vez, impulsiona o indivíduo inculto à agressividade, a violência e todas as conseqüências funestas que resultam dessa falta de Consciência da realidade. Não estamos querendo afirmar que as pessoas de Cultura e Saber, não possam ser agressivas e violentas! Não se trata de generalizar! Entretanto, as pessoas que acumularam conhecimentos no cérebro e têm mentes ricas, quando se tornam agressivas ou violentas, são em razão de patologias psicobiológicas; enquanto o ignorante o é, mesmo que seja são, e não sofra de distúrbios internos. A agressividade e a violência dos ignorantes são frutos da Frustração quando, inconsciente ou conscientemente, percebem a sua incompetência mental-cultural que o inviabiliza ou dificulta o seu bem-estar e o seu futuro. Cuide para que os seus filhos adquiram Conhecimento e nos permitam um Viver Melhor. Para finalizar, vamos dar um último exemplo, dentre os milhares de casos que presenciamos,tratamos e estudamos: um “estudante”, mais ou menos 24 anos, de um curso superior de uma conhecida Faculdade, ao ser perguntado, no dia do Trabalho, sobre Getúlio Vargas, alegou para justificar a sua abissal ignorância, que não sabia quem era ele porque “ainda não tinha nascido”, na época daquele ex-presidente da República. Esta tão grande demonstração de alienação, não é uma exceção; mas, sim, a regra geral entre moykanos ou não moykanos, naquela faixa etária, em todo o Planeta. Já pensaram nos milhões de “universitários” ignorantes como este que estão se formando nos milhares de Faculdades, Escolas Práticas e em outros cursos ligados à Saúde, como o de Enfermagem, por exemplo! Muitos deles irão, com pouco conhecimento e ignorantes, ministrar medicamentos, aplicar injeções, fazer assepsia, transfusões e outros atos equivocados nas caladas da noite em você, em seus familiares e em todos nós, nas enfermarias e UTIs de hospitais desaparelhados e empobrecidos, que não podem pagar profissionais mais capacitados. Se formos nos aprofundar em um só tipo desses problemas, ficaremos enlouquecidos de preocupações. Se deixarmos como está... já sabemos como vai ficar ; e, nem precisamos de Magos e nem de novos Nostradamus.

-----------------------------------------------------------------

Obs. O autor pede, encarecidamente, a quem ler este Trabalho e se sentir ofendido que, antes de odiá-lo ou desprezá-lo, tente analisar as razões da rejeição e, conforme os resultados da verificação, procure, ou não, mudar os rumos da sua vida,estudando e obtendo conhecimentos para afastar a Ignorância e......a Frustração.

Nota: o Autor agradece a colaboração da Srta. REJANE PIMENTA FURTADO, de São Sebastião do Paraíso - MG, que com zelo e dedicação digitou o presente Trabalho; da Srta. VERA DE FREITAS, da Serra Gaúcha-RGS e da Srta. MARILENE da SILVA, de Caruaru-PE, que nos prestigiaram com informações importantes e de grande valia para este Trabalho.

--------------------------------------------------

CARLEIAL. Bernardino Mendonça.

Psicólogo-Clínico pela Universidade Católica de Minas Gerais;

Estudante de Direito da Universidade Estácio de Sá;

Escritor e Pesquisador nas áreas da Psicobiologia e do Direito.

Participação: 4 Comentários

Avaliação:

  • Atualmente /5

Se você quer comentar também Clique aqui

Compartilhe ou guarde este conteúdo

Mais Matérias de Psicologia

Resolução mínima de 800x600. Copyright © 2014 Rede Omnia - Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial sem prévia autorização (Inciso I do Artigo 29 Lei 9.610/98).

R7 Educação