Publicidade

Acesso Restrito

Psicologia do exercício e atividade física: promoção da qualidade de vida e prevenção do estresse

Por: elenice daiana bratz

RESUMO

O estress seja ele de natureza física, psicologicamente ou social, é composto de um conjunto de reações fisiológicas que se exageradas em intensidade ou duração podem levar a um desequilíbrio no organismo. O presente estudo tem como objetivo revisar a literatura referente agravos à saúde provocados pelo estress, bem como verificar a inter- relação de exercício físico e o estresse. O tipo de pesquisa utilizado foi à bibliográfica, a busca foi por meio das bases de dados MEDLINE, LILACS e SCIELO. A proposta de pesquisa foi lançada na disciplina de Psicologia do Esporte e Jogos Coletivos na Escola, com a Professora Dra. Judite Filgueiras, no curso de Pós – graduação em Educação Física Escolar Com Ênfase em Recreação, Saúde e Fisiologia, na Faculdade de Educação e Tecnologia da Região Missioneira – FETREMIS. As fontes fisiológicas do estresse podem ser as atividades físicas, as mudanças na temperatura, na altitude. Como estressores psicológicos podem ser citados as mudanças eventuais que ocorrem na vida, novo emprego, doença na família, outros. Infelizmente o corpo não tem como distinguir entre fatores estressores fisiológicos ou psicológicos, dando uma reação generalizada para estes dois fatores de estress. Uma vez submetidos a estes fatores, o corpo luta contra ou para se defender das situações ameaçadoras, emitindo uma resposta ataque – defesa caracterizada com alterações fisiológicas, como: aumento da freqüência cardíaca e respiratória, da temperatura corporal, no fluxo sanguíneo para os músculos, suor, utilização de oxigênio e tensão muscular. O estress esta associado a alguns problemas ao organismo que podem ser físicos e psicológicos. A atividade física é destacada como uma maneira de prevenir e tratar o estresse, de modo que muitos estudos evidenciaram esta relação, principalmente com a atividade física de lazer não competitiva.

Palavras chave: estresse; atividade física e qualidade de vida;

INTRODUÇÃO

A atividade física entende – se como uma maneira de restaurar a saúde dos efeitos nocivos da rotina do trabalho. Pode – se observar que quanto mais o individuo tem uma vida ativa melhor sua qualidade de vida. Além disso há diferenças entre as pessoas que praticam a atividade física com as que não praticam no que se refere à qualidade de vida, nos aspectos psicológicos e cognitivos.

O exercício físico é uma forma de lazer e restaura a saúde dos efeitos nocivos que o trabalho estressante produz através da rotina. Assim, o estresse é a maneira como o organismo responde a qualquer estimulo que altere seu estado de equilíbrio, sendo este estimulo bom ou ruim, real ou imaginário Nahas (2006).

Muitas pessoas buscam no exercício físico a diminuição de sensações desagradáveis da sua vida, como ansiedade, irritabilidade, depressão e estress. E não somente a boa forma física.

A QUALIDADE DE VIDA ATRAVÉS DA ATIVIDADE FISICA

Nos tempos modernos, viver muito mais do que nossos avós já é uma realidade para a geração atual de jovens e adultos, pois, a cada década aumenta-se a expectativa no tempo de vida das pessoas. Cabe a nós profissionais de educação física, prepararmos nossos alunos, para a aquisição de conhecimentos fundamentais para a busca de estilo de vida saudável, através da pratica de hábitos saudáveis ou práticas básicas de saúde.

Muitas vezes o tema saúde não se dá o devido valor até perceber que ela começa a diminuir ou deixa de existir, dando lugar às doenças. Movimentar, praticando atividade física, pode aumentar o tempo de vida. É importante que as pessoas realizem atividades que lhes agradem em suas horas de lazer, ser uma pessoa fisicamente ativa é necessário para uma vida melhor.

Um dos fatores mais importantes para uma melhor qualidade de vida é a prática de atividades físicas regulares, pois além dos benefícios físicos, há o aperfeiçoamento das capacidades cognitivas.

Atualmente, a atividade física pode ser entendida como qualquer movimento corporal, produzido pela musculatura esquelética que resulta em gasto energético, tendo componentes e determinantes de ordem biopsicossocial, cultural e comportamental, podendo ser exemplificada por jogos, lutas, danças, esportes, exercícios físicos, atividades laborais e deslocamento (PITANGA, 2002, p. 51).

 A atividade é um programa que se adapta num diversificado programa de atividades, jogos, esportes, atividades rítmicas e expressivas cuja organização esta baseada em interesses, capacidades e limitações de indivíduos. Também a prática de atividades físicas controla os níveis de estresse, doenças como obesidade, doenças coronarianas e diabetes, e interfere na aptidão funcional do individuo, desempenhando demandas na vida diária de forma segura e eficaz.

BENEFICIOS DA ATIVIDADE FISICA X ESTRESS

O estresse não tem uma fonte especifica, podendo ser de natureza fisiológica ou psicológica. As fontes fisiológicas do estress podem ser atividades, como natação, musculação dentre outras. Como estressores psicológicos podem ser citados as mudanças eventuais que ocorrem na vida, como por exemplo, novo emprego, mudança de cidade, doença na família, falecimento de um ente querido e outros.

Desta maneira Nahas (2006), coloca que o estresse é um aspecto natural da própria vida, pois a cada dia o ser humano enfrenta situações que exigem decisões, responsabilidades e obrigações que não se pode simplesmente ignorar.

Uma vez submetidos a estes fatores, o corpo luta contra ou, para se defender das situações ameaçadora, emitindo uma resposta ataque-defesa, caracterizada com alterações fisiológicas, como: aumento da freqüência cardíaca e respiratória, da temperatura corporal, no fluxo sanguíneo para os músculos, aumento da sudorese, a utilização de oxigênio e tensão muscular.

O estresse também trás efeitos psicológicos ao organismo, como por exemplo, ansiedade, depressão, concentração diminuída, irritabilidade, memória fraca, raiva, produtividade diminuída, falta de comunicação e outros.

A avaliação do estress torna-se uma ferramenta bastante útil para uma possível detecção precoce de algumas patologias e para um alerta às pessoas que assim forem diagnosticas.

De acordo com pesquisas científicas a atividade física é considerada como uma das principais formas de controle e combate do estress. As pesquisas indicam que o exercício físico aeróbico (corrida, caminhada e natação....), mantidos sem interrupção por 30 minutos, é capaz de levar nosso corpo a produzir uma substancia chamada beta-endorfina, que dá uma sensação de conforto, prazer, alegria e bem – estar. O exercício físico também combate dois problemas bastante atuais da área da saúde mental: a depressão e a ansiedade.

Cada vez mais o exercício fisco vem sendo destacado como uma maneira de prevenir e tratar o estresse de modo que muitos estudos evidenciaram esta relação.

Um estudo desenvolvido por Thorsen et al (2005) analisou a associação de atividade física com a prevalência de depressão, ansiedade e outras desordens mentais. Os autores identificaram que dos 20.207 homens investigados, 14 % foram considerados ativos, sendo que estes tiveram menos eventos de depressão e ansiedade em comparação aos inativos.

Pode – se perceber que o exercício físico pode trazer benefícios semelhantes aos provocados pelos fármacos para o tratamento da depressão, ou de outros transtornos mentais.

Em outra pesquisa somente com homens, verificando a influencia da atividade física no lazer e no trabalho, no combate ao estress e fatores associados (Willes et al, 2007), encontrou-se que aqueles homens que foram mais ativos no trabalho apresentaram menos reduções em problemas oriundos do estress do que aqueles ativos no lazer. Ao que parece, atividades físicas no lazer têm um combate ou uma ação mais precisa no bem – estar das pessoas.

Nahas (2006) comenta em base nas evidencias que, as atividades físicas leves ou moderadas, podem representar uma forma de promover um maior relaxamento corporal. Uma simples caminhada de 15 minutos que eleve a freqüência cardíaca a 100 ou 120 batimentos por minuto, funciona como tranqüilizante natural ao organismo.

Tendo em vista os benefícios que a atividade física provoca ao organismo no combate ou no tratamento de estresse, muitos pesquisadores se perguntam por que do exercício físico auxiliar neste combate. Heyward (2004), cita 4 possíveis respostas: 1 – O exercício é uma diversão que capacita a pessoa a relaxar devido à mudança no ambiente ou na rotina, 2 – O exercício serve com descarga para dissipar emoções com raiva, medo e frustração; 3 – O exercício eleva nossa auto-estima e aumenta a confiança em nossa capacidade de lidar com situações que produzem estresse; 4 – O exercício produz mudanças bioquímicas que alteram o estado psicológico.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Desta forma pode – se concluir que a prática de atividade física pode contribuir para melhoria na qualidade de vida das pessoas, pois exercita as capacidades funcionais dos indivíduos. Há vários estudos científicos, assim como literaturas publicadas que apontam à atividade física como um importante significado para a melhoria na qualidade de vida e na prevenção de vários tipos de doenças. Buscando um novo sentido para suas vidas, mais afastadas das doenças e mais próxima da saúde.

Sendo assim, destacamos que o mais importante é a prevenção do estresse e para isto tem que praticar atividades prazerosas, como dança práticas de esportes, atividade física de maneira moderada, caminhada ao ar livre, meditação ioga, leitura, jogos de carta e o cultivo de algum passatempo. Pois o importante é o individuo fazer aquilo que lhe de prazer em realizar, qualquer atividade física será de grande contribuição, principalmente feita com motivação.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS

ALMEIDA, Vanessa; BOGUS, Claudia M.; MORETI, Andrezza C.; WESTPHAL, Márcia Faria; Práticas corporais – atividade física e políticas públicas de promoção da saúde. Disponível em SCIELO, acesso em 30/05/2010.

GOLVEIA, Maria João. Tendências da Investigação na Psicologia do Desporto, exercício actividade física. Instituto Superior de Psicologia Aplicada, Lisboa. Fornecido por Judite Filgueiras Rodrigues.

HEYWARD,V. Avaliação Física e prescrição de exercício: Técnicas avançadas. 4 ed. Artmed, 2004.

NAHAS, M.V. Atividade física, Saúde e Qualidade de vida: Conceitos e sugestões para um estilo de vida ativo. 4 ed. Londrina: Midiograf, 2006.

PITANGA, F. J. G. Epidemiologia, atividade e saúde. Revista Brasileira da Ciência e Movimento. P.51.

SILVA, Diego Augusto Santos. Exercício físico e estresse: conceitos, inter-relação e recomendações. Disponível em LILACS, acesso em 03/06/2010.

SILVA, Rodrigo Sinnott; SILVA, Ivelissa da; SILVA Ricardo Azevedo da; SOUZA. Luciano; TOMASI. Elaine, Atividade Física e Qualidade de Vida. Disponível em SCIELO, acesso em 28/05/2010.

THORSEN, L; NYSTAD,W; STIGUM, H; DAHL, O; KLEPP, O; BREMMNES, R.M, et al. The association between self-reported physical activity and prevalence of depression and anxiety disorder in long-term survivors of testicular câncer and men in a general population sample. Support Care Cancer. 2005, 13:637-46.

WILES, N. J; HAASE, A.M; GALLACHER, J; LAWLOR,D.A; LEWIS,G. Physical activity and common mental disorder: results fron the Caerphilly Study. American Journal of Epidemiology. 2007, 165 (8).

--------------------------------------------------------------------------------

[1] Acadêmica do Curso de Pós-Graduação, nível de Especialização do Curso de Educação Física Escolar, com ênfase em Recreação, Saúde e Fisiologia da FETREMIS.

[2] Acadêmica do Curso de Pós-Graduação, nível de Especialização do Curso de Educação Física Escolar, com ênfase em Recreação, Saúde e Fisiologia da FETREMIS.

[3] Prof.Orientadora, Doutora em Ciências do Movimento Humano.

Participação: Nenhum Comentário

Avaliação:

  • Atualmente /5

Se você quer comentar também Clique aqui

Compartilhe ou guarde este conteúdo

Mais Matérias de Educação

Resolução mínima de 800x600. Copyright © 2014 Rede Omnia - Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial sem prévia autorização (Inciso I do Artigo 29 Lei 9.610/98).

R7 Educação