Publicidade

Acesso Restrito

Nematelmintos

Por: Mariana A. de Castro Sá Lima


Ancylostoma duodenale: o parasita do amarelão.

O Filo Nematoda abriga indivíduos cilíndricos, de formato alongado e extremidades afiladas, com cutícula protegendo a epiderme e, sob esta, músculos longitudinais, permitindo que se locomovam via movimentos de flexão. É um grupo que contém uma grande diversidade de representantes, sendo a maioria destes de vida livre, distribuídos tanto em ambientes terrestres quanto aquáticos; tanto de água doce quanto de água salgada. Entretanto, geralmente frisam-se mais os organismos parasitas, já que estes colocam em risco a saúde e o bem-estar da vida de diversas espécies animais e vegetais.

São triblásticos, pseudocelomados, têm simetria bilateral e sistema digestório completo, com boca (com lábios ou papilas e dentes ou estiletes), faringe, intestino e ânus (ou cloaca). A maioria deles é dioica, ou seja: possui sexos separados. Dimorfismo sexual é também comum, sendo a fêmea de tamanho maior que o macho. Este possui uma extremidade em forma de gancho que auxilia no momento da cópula e cloaca. Já na fêmea há ânus. Do processo reprodutor, geram-se ovos de casca bastante resistente sendo que, em muitas espécies, principalmente as parasitas, o desenvolvimento é indireto.

A respiração é cutânea, por difusão, e os nutrientes, oxigênio e gás carbônico, circulam pelo corpo via pseudoceloma, já que não têm sistema circulatório. Possuem sistema excretor, com uma única célula, denominada renete, liberando excretas por um poro excretor.

Quanto ao sistema nervoso, possuem dois cordões nervosos que se comunicam com as fibras musculares, além de um anel nervoso localizado na faringe.

Quanto às parasitoses humanas, temos a lombriga (Ascaris lumbricoides) como o seu mais conhecido representante, sendo essa a responsável pela ascaridíase. A ancilostomose, ou amarelão é causada por outros representantes, o Ancylostoma duodenale ou o Necator americanus. A larva migrans cutânea, ou simplesmente “bicho geográfico”, tem o Ancylostoma braziliensis e Ancylostoma caninum como os responsáveis por ela. Wuchereria brancrofti é o parasita da filariose, que pode desenvolver a elefantíase. Oxiurose, estrongiloidíase e tricuríase são outras das mais de 50 doenças humanas que esses vermes podem causar.

Participação: Nenhum Comentário

Avaliação:

  • Atualmente 5.00/5

Se você quer comentar também Clique aqui

Compartilhe ou guarde este conteúdo

Mais Matérias de Biologia

Resolução mínima de 800x600. Copyright © 2014 Rede Omnia - Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial sem prévia autorização (Inciso I do Artigo 29 Lei 9.610/98).

R7 Educação